domingo, 24 de julho de 2011

POLÍCIA AMBIENTAL E RODOVIÁRIA FEDERAL PREJUDICAM VAQUEJADA DE SANTANA

centro da cidade no domingo de vaquejada: muita gente no centro, mas desanimados e reclamando pela falta de som, que foi controlado pela polícia
no mesmo domingo, só tinha animação quando alguns descumpriam a lei e aumentavam o volume enquanto a polícia não via
A polícia , que organizou o trânsito nos outros anos, esse ano deixou tudo desorganizado
enquanto a polícia prendia veículos atrazados, deixaram de organizar o trânsito e permitiram que três pessoas andassem na mesma moto
Esse ano, a presença da polícia inibindo a utilização dos paredões fez do centro da cidade um velório, prejudicando os jovens que esperavam animação e os comerciantes locais
os paredões no ano passado foram uma das atrações da vaquejada
milhares de jovens lotaram o centro da cidade para curtir o som dos paredões
no ano passado, moto-taxistas irregulares se infiltraram entre os outros, prejudicando o rendimento deles

A vaquejada de Santana do Matos, que já é tradicional e uma das melhores do Estado, esse ano não teve o mesmo brilho. Os muitos visitantes que fazem essa festa ser o que é, esse ano foram surpreendidos e prejudicados com a interferência da polícia ambiental, que proibiu a utilização dos paredões de som, e da polícia rodoviária federal, que fez blitz e apreendeu veículos atrasados na cidade.

A poluição sonora causa problemas graves à saúde das pessoas, mas num caso especial como é a tradicional vaquejada de Santana do Matos, bem que os paredões poderiam ter sido liberados pela polícia ambiental, já que é um evento que ocorre uma vez por ano e movimenta muito a economia da cidade.

Com relação a polícia rodoviária federal, que segundo informações, foi solicitada por moto-taxistas santanenses para evitar a circulação de moto-taxistas irregulares, poderiam fazer apenas o que lhes foi solicitado e no máximo apreender veículos sem documentos, evitando apreender veículos apenas por estarem com documentação atrasada, pois a maior parte das pessoas que tem carros ou motos em nossa cidade, possuem, na verdade, veículos que não são novos, que não compensam ter gastos com a legalização, que é muito cara, e que são essenciais para as pessoas que precisam vir da zona rural para resolver questões importantes na cidade.

No final das contas, muitas pessoas já retornaram para suas cidades revoltadas por não poderem curtir a festa com os seus paredões de som, outros muitos deixaram de vir por medo de ter seus veículos apreendidos, e a festa já não foi tão atrativa como nos anos anteriores.

Apenas no último dia de festa, segundo informações, o vereador Erinaldo Florêncio teria conseguido a liberação dos paredões de som, isso mesmo, só até as 19 horas e depois que muitas pessoas e sons já se foram. De acordo com pessoas que vieram para a festa, as autoridades locais, como, delegado, vereadores, prefeito e até mesmo promotor e juiz poderiam e deveriam ter agido de forma mais contundente para evitar esses problemas, pois se é comum a própria prefeitura contratar bandas que tocam até 5 horas da manhã, como aconteceu essa semana, é muito contraditório que se proíba os paredões.

Muitas pessoas deixaram Santana do Matos dizendo que não voltariam mais aqui nas vaquejadas por causa disso, então fica o alerta para quem for de direito para que não tenhamos esses problemas nos próximos anos.Veja os vídeos de pessoas guardando o som e indo embora e de comerciante reclamando pelo lucro que deixou de ter. video video video

Nenhum comentário:

Postar um comentário